O Jornal da Região de Cornélio Procópio - Diretor: Jornalista Breno Jordão - Fone (43) 3524-1303

Cornélio Procópio - PR, - Diretor: Jornalista Breno Jordão - Fone (43) 3524-1303

Atualizado em 06/06/2013 às 20:53:52

Famílias beneficiadas com a Tarifa Social devem se recadastrar

Imprimir

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) convoca os beneficiários do programa Tarifa Social para se recadastrar a cada 12 meses. A renovação do cadastro é necessária porque a renda mensal, o número de moradores e o consumo de água tratada, que são critérios da Tarifa Social, podem mudar. “O programa deve atender exclusivamente a quem precisa”, explica o diretor comercial da empresa, Antonio Carlos Salles Belinati.

Em 2012, o benefício representou quase R$ 46 milhões de economia para os clientes de menor poder aquisitivo. Só nos primeiros quatro meses deste ano, o subsídio oferecido às famílias carentes totalizou R$ 17 milhões. Hoje, são 167.751 mil famílias inscritas no programa que têm, em média, 78% de desconto nas contas de água e esgoto.

Aos 68 anos, Terezinha de Jesus Gonçalves é uma das beneficiadas pela Tarifa Social. Ela vive da produção de salgados e da revenda de produtos de beleza, roupas e semijoias na Vila Jacira, em Curitiba. “Com o que economizo na conta de água posso comprar açúcar, arroz, feijão, azeite, polvilho, queijo ralado e muitas outras coisas. Compro comida e ingredientes para os meus salgadinhos”, diz. Com o programa, Terezinha paga apenas R$ 9,30 pelos serviços de água tratada e coleta e tratamento do esgoto.

Moradora da mesma vila, Evelise Wormann economiza há um ano. Antes de se cadastrar na Tarifa Social, ela, o marido e três dos cinco filhos pagavam R$ 70,00 pelos serviços de água e esgoto. O que paga a menos, a família gasta em alimentação, que compra no Armazém da Família. “Vale a pena economizar na água. Aqui em casa, só lavamos roupa uma vez por semana. Juntando tudo para lavar de uma vez, gastamos menos água”, ensina. Evelise vive de artesanato e o marido é conferente em uma loja de eletrônicos. “Faz muita diferença para nós a redução na conta de água”, afirma.

COMO FUNCIONA – O serviço de cadastro e recadastramento é contínuo nos escritórios de atendimento da Sanepar. O usuário recebe uma comunicação da empresa alertando sobre a necessidade de recadastramento. O prazo é de 15 dias para comparecer pessoalmente a um escritório, levando a conta de água, documento que comprove o tamanho do imóvel, documento de identidade e CPF e comprovante de renda dos moradores do imóvel.

O recadastramento e a inclusão de novas famílias beneficiárias também podem ser feitos nos eventos dos quais a Sanepar participa. Em junho, por exemplo, a empresa estará na Exposição Feira Agropecuária, Industrial e Comercial dos Campos Gerais (Efapi), em Ponta Grossa, onde os interessados poderão fazer a sua inscrição.

A pensionista Deonira Gomes Droze, moradora do bairro Boa Vista, em Ponta Grossa, atualizou recentemente o seu cadastro na Tarifa Social. Beneficiária do programa há um ano, ela diz que a tarifa reduzida tem sido muito importante para seu orçamento. “É uma boa economia. Com os R$ 33,23 que economizo por mês na conta de água consigo comprar roupas, calçados e outras coisas que preciso”, conta.

A tarifa especial da Sanepar para famílias carentes existe desde 1989, mas em 2004 teve seus critérios flexibilizados para que mais pessoas pudessem se beneficiar. “Quem precisa da Tarifa Social não pode perder o benefício porque esqueceu de fazer o recadastramento. Sabemos que este é um importante instrumento para garantir o acesso à água tratada e de qualidade e o serviço de esgoto para as famílias carentes do Paraná”, diz Belinati. Com o cadastramento no programa as famílias passam a pagar somente R$ 9,30 pela água e pelo esgoto.

A família de Antonio Rogério Albuquerque tem um benefício mensal médio de mais de R$ 36,00 desde que foi cadastrada na Tarifa Social. Ele, a esposa Verci e mais cinco dos oito filhos moram no Bairro XIV de Novembro, em Cascavel. Marceline de Paula Albuquerque, uma das filhas do casal, conta que a economia na conta de água ajuda a família a adquirir medicamentos, já que muitas vezes o casal precisa de auxílio médico e de remédios. A garota, com apenas 13 anos, já sabe que é preciso economizar a água para manter o benefício. “Enquanto lavo as roupas, aproveito para armazenar a água e fazer a limpeza da casa e dos calçados”, diz ela.

CRITÉRIOS – Hoje, podem utilizar o benefício usuários que tenham renda de até meio salário mínimo por morador, que residam em imóvel de até 70 metros quadrados e mantenham o consumo mensal de água em 10 mil litros por mês. Famílias com mais de quatro pessoas podem consumir acima desse volume, porém, mantendo o proporcional per capita de até 2,5 mil litros por pessoa. Segundo a Organização Mundial da Saúde, 2,5 mil litros mensais por pessoa é o volume necessário para atender as necessidades de higiene e alimentação.

Outro benefício da Tarifa Social é a redução do preço das ligações de água e esgoto para R$ 20 reais cada, valor que pode ser parcelado. O custo normal de uma ligação de água hoje é de R$ 62,20.

 



» Veja Fotos




Você pode gostar também de:

» Comentários

Postagem em questão: “Famílias beneficiadas com a Tarifa Social devem se recadastrar”

 

  1. Comente esta matéria!

Enviar Comentário
Name (obrigatório)
E-Mail (não será publicado) (obrigatorio)
Cidade (obrigatorio)
 
 

Diretor: Jornalista Breno Jordão
Fone: (43) 3524-1303
®Todos os direitos reservados