O Jornal da Região de Cornélio Procópio - Diretor: Jornalista Breno Jordão - Fone (43) 3524-1303

Cornélio Procópio - PR, - Diretor: Jornalista Breno Jordão - Fone (43) 3524-1303

Atualizado em 09/07/2013 às 19:22:21

Eduardo Requião é investigado pelo MPF

Imprimir

O Ministério Público Federal (MPF) está investigando por suspeita de lavagem de dinheiro e ocultação de bens o ex-superintendente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (APPA), Eduardo Requião. As informações foram publicadas no jornal Gazeta do Povo desta segunda-feira (08/07).

De acordo com a reportagem, o inquérito é um desdobramento da Operação Dallas, deflagrada em 2011 pela Polícia Federal que apura supostas fraudes cometidas no Porto de Paranaguá. Ainda segundo a Gazeta do Povo, que teve acesso à ação penal que corre em sigilo na Justiça Federal, “entre as possíveis ilicitudes detectadas pela PF na época está a suspeita de fraude na licitação da compra de uma draga no valor de R$ 45,6 milhões – que, segundo o MPF, renderia cerca de R$ 10 milhões para os denunciados, sendo que metade ficaria para Eduardo Requião”.

Além do ex-superintendente, mais oito pessoas foram denunciadas pelo MPF. Segundo a reportagem, as suspeitas dos procuradores é que Eduardo Requião possa ter usado a mulher e filhos como “laranjas para um possível [crime] de lavagem de dinheiro”. Conforme o MPF, esta investigação não tem ligação com os ilícitos encontrados na Operação Dallas, visto que a compra da draga não foi efetivada. No entanto, a matéria diz que MPF tem sinais que mostram a “existência de movimentação cambiária de grande monta” entre Eduardo Requião e o empresário paraguaio dono da empresa que venceu a licitação de compra da draga, Alex Hammound.

Eduardo Requião também foi indiciado pela Polícia Federal por posse ou porte ilegal de arma de fogo e munição.  O inquérito foi aberto após a PF ter encontrado na casa dele, por meio de um mandado de busca e apreensão, cerca de dez armas entre elas pistolas, revólveres e dois fuzis. Eduardo já foi ouvido e, se condenado, sua sentença pode chegar de quatro a nove anos de prisão, além de uma multa.

A reportagem da Gazeta do Povo buscou Roberto Brzezinski Neto, advogado de Eduardo Requião, para comentar o caso, mas ele disse que “não poderia se manifestar sobre as acusações porque o processo tramita em segredo”.

 'Agência Notícias PR'



» Veja Fotos




Você pode gostar também de:

» Comentários

Postagem em questão: “Eduardo Requião é investigado pelo MPF”

 

  1. Comente esta matéria!

Enviar Comentário
Name (obrigatório)
E-Mail (não será publicado) (obrigatorio)
Cidade (obrigatorio)
 
 

Diretor: Jornalista Breno Jordão
Fone: (43) 3524-1303
®Todos os direitos reservados