O Jornal da Região de Cornélio Procópio - Diretor: Jornalista Breno Jordão - Fone (43) 3524-1303

Cornélio Procópio - PR, - Diretor: Jornalista Breno Jordão - Fone (43) 3524-1303

Atualizado em 06/09/2016 às 23:42:29

Psoríase: tratamentos envolvem uso de pomadas e terapia fotodinâmica

Imprimir

Entenda melhor os tratamentos atuais para a psoríase e o que causa essa doença de pele

A psoríase é uma doença inflamatória crônica da pele, que se manifesta, na maioria das vezes, por lesões róseas ou avermelhadas, recobertas por escamas esbranquiçadas. A psoríase é muito comum e afeta cerca de 4% da população, tanto homens quanto mulheres. Normalmente, a doença aparece entre os 30 e 40 anos, mas, por questões genéticas, podem atingir menores de 15 anos.

As áreas do corpo mais afetadas pela psoríase são o cotovelo, joelhos e couro cabeludo. Mas pode ocorrer de a doença se espalhar por toda a pele. Frequentemente as unhas também são atingidas. As articulações também podem ser afetadas, dando origem à artrite psoriática.

Os motivos que causam a psoríase ainda não estão totalmente claros. Pesquisas científicas demonstram que pode ser uma doença hereditária ou desencadeada pelo estresse emocional, traumas ou irritações na pele, infecções na garganta e alguns medicamentos. Geralmente, o indivíduo portador da doença é exigente, crítico e perfeccionista. O que se sabe é que para o portador da psoríase, é como se o corpo todo ou parte dele resolvessem declarar guerra, fazendo com que as células se multiplicassem fora do normal.

A evolução da psoríase depende da sua forma clínica. Às vezes ela é inicialmente grave, com muitas placas; ou permanece leve, atingindo pequenas áreas do corpo. O ambiente é um fator que influencia no aparecimento ou desenvolvimento da doença. A indicação é que o paciente tenha uma alimentação equilibrada e saudável e evite o álcool ? pois ele é um dos fatores que pioram a psoríase. O sol, sem exagero, pode melhorar as lesões. Já no período do inverno, a psoríase pode piorar.

Tratamento da psoríase

O tratamento é escolhido pelo dermatologista e vai levar em conta os sintomas, a gravidade e o quanto a doença afeta a autoestima do paciente. O médico pode optar entre pomadas de corticoides, vitamina D, medicamentos biológicos ou tratamento com ultravioleta. Há uma nova modalidade de tratamento da psoríase, usando-se a terapia fotodinâmica.

A terapia fotodinâmica consiste em usar um creme específico, o ácido aminolevulínico nas lesões, deixando-o em contato com a pele por duas horas e aplicar uma luz de comprimento de onda vermelha. O creme promove uma interação com a pele e reage quimicamente com as células da área inflamada. Essas células ficam marcadas e são destruídas pela luz que tem esse alvo específico. É uma terapia muito utilizada também para tratar lesões pré-cancerosas e também acne inflamada. O creme é passado nas áreas específicas, que são deixadas fechadas com papel alumínio por 2 horas e depois aplica-se a luz vermelha. A pele fica muito vermelha após a luz e essa terapia é contraindicada em pacientes que tem doenças sensíveis à luz e também a quem é sensível à dor.

Já o tratamento com ultravioleta consiste em fazer sessões semanais em cabines de luz. O médico ajusta o tempo que se ficará exposto nessa cabine após avaliar quantos joules serão suficientes por sessão. A pessoa fica numa sala especial e acionam-se as lâmpadas que emitem a luz, determinando previamente o tempo necessário. A luz é ultravioleta B de comprimento de onda estreito (311 nm). O tempo vai aumentando semanalmente e o máximo de sessões preconizadas é de 200 sessões no total. O médico é que tem que indicar o tratamento. O tratamento com ultravioleta é contraindicado para pessoas com intolerância à luz e doenças de fotossensibilidade como lúpus eritematoso, urticária solar entre outros.

As pomadas de corticoide são substâncias tópicas, elas têm a formulação de um anti-inflamatório, como cortisona. O médico indica a pomada de cortisona, determinando a frequência do uso. O corticoide tópico é usado de três a quatro vezes por semana no local da placa de psoríase e não deve ser usado em crianças e também evitado em áreas genitais. O corticoide mesmo tópico, pode causar atrofia, estrias, aumento de pelo, avermelhamento local.

Não há tratamento com vitamina A, somente derivados do mesmo, como acitretina. O remédio é via oral e tem que ser indicado pelo médico. O uso tópico da vitamina A não é indicado, os derivados da vitamina A sistêmicos são contra indicados para grávidas e também pessoas com doenças de fígado ou colesterol muito alto. Já a vitamina D é usada tópica, em geral duas a três vezes por semana e também indicada elo médico. Não há contra indicações especificas para uso da vitamina D tópica.

O tratamento da psoríase é complexo e depende de um diagnóstico médico dermatológico. O médico levará em conta a idade do paciente, suas doenças e fragilidades e a disponibilidade para o tratamento. O tipo de psoríase (placas, generalizada, pustulosa, no couro cabeludo, unha), também será determinante na escolha do tratamento. O esperado de cada tratamento é a melhora do paciente que geralmente demora. Os tratamentos podem ser mudados, conforme a situação. O resultado de melhora é esperado em cerca de três meses, se não houver melhora é necessário mudar o tratamento.

É importante evitar a automedicação, especialmente os corticoides, pois a pele pode viciar e não responder ao tratamento. Além disso, pode provocar estrias, o afinamento da pele, inchaço, descontrole da pressão e diabetes. Outros medicamentos quando usados sem prescrição médica, como o lítio, podem piorar as lesões.

A psoríase não causa dor, mas confere ao portador uma aparência desagradável da pele - o que muitas vezes faz com que o paciente seja vítima de preconceito ou se isole socialmente. O dermatologista tem muito mais sucesso no tratamento da doença, se o lado emocional do portador também for trabalhado. (www.minhavida.com.br)



» Veja Fotos




Você pode gostar também de:

» Comentários

Postagem em questão: “Psoríase: tratamentos envolvem uso de pomadas e terapia fotodinâmica”

 

  1. Comente esta matéria!

Enviar Comentário
Name (obrigatório)
E-Mail (não será publicado) (obrigatorio)
Cidade (obrigatorio)
 
 

Diretor: Jornalista Breno Jordão
Fone: (43) 3524-1303
®Todos os direitos reservados