O Jornal da Região de Cornélio Procópio - Diretor: Jornalista Breno Jordão - Fone (43) 3524-1303

Cornélio Procópio - PR, - Diretor: Jornalista Breno Jordão - Fone (43) 3524-1303

Atualizado em 08/05/2011 às 22:13:44

Dicas para comprar um bom azeite

Imprimir

 

O azeite pode ser usado em inúmeras receitas, dá mais sabor aos pratos e quando consumido em quantidades moderadas, faz muito bem à saúde. Mas com tantas diferenças entre preços e marcas disponíveis no mercado, fica difícil saber qual é a melhor escolha. Leia, a seguir, algumas dicas que podem ajudar você a escolher melhor.

 

É preciso experimentar!

A Presidente da Associação Brasileira de Produtores, Importadores e Comerciantes de Azeite de Oliveira, Rita Bassi afirma que a qualidade de um azeite é percebida, acima de tudo, pelo seu sabor. Para os leigos, talvez seja difícil diferenciar todas as nuances de sabores e aromas entre os produtos, mas Rita afirma que a partir da degustação do azeite é possível determinar se o produto foi fabricado com azeitonas verdes ou maduras.

O sabor amargo apresentado por alguns é característico dos azeites obtidos de azeitonas verdes ou em estado precoce de maturação. Quanto mais verde a azeitona usada, mais amargo o azeite. Já os azeites mais "doces" apresentam sabor suave e agradável, característico de azeitonas maduras.

Diz-se que a baixa acidez é um dos indicadores de boa qualidade em um azeite. Rita Bassi lembra, entretanto, que "a acidez não é garantia de qualidade do azeite". Esta é uma das características analisadas, porém, sozinha não garante a qualidade.

Na realidade, a análise da acidez relaciona-se com o teor de ácidos graxos livres e não com o pH do produto, como muitos pensam. Portanto, as diferenças não são detectadas através do paladar. Para determinar a acidez do produto são necessárias análises químicas.

Adequar a escolha do azeite ao uso pretendido, para temperar, saborear com pão, cozinhar, entre outros, é o único caminho de avaliação e a melhor maneira de estabelecer preferências. A conhecida regra dos bons vinhos "quanto mais velho, melhor" não vale para o azeite segundo a especialista. Rita afirma que, com o tempo, o azeite pode perder suas propriedades. É preciso conferir no rótulo do produto a data de fabricação do azeite e consumir os que tenham sido fabricados há menos tempo.

Fatores como exposição à luz, ao calor e ao oxigênio alteram algumas características do produto e quando engarrafado em embalagens de vidro escuro ou de lata, o produto tende a se conservar saboroso por mais tempo.

 

Tipos de azeites

O site da OLIVA (www.oliva.org.br) informa que dentre os 270 tipos de azeitonas existentes, apenas 24 são usadas para a fabricação de azeite. Os principais países produtores são Espanha, Portugal e Argentina, cada um com seu tipo de azeitona característico, respectivamente Picual, Galega e Arauco.

Os tipos de azeites são assim classificados:

- Azeite Extravirgem: apresenta aroma e sabor equilibrados e acidez menor que 1%.

- Azeite Virgem: aroma e sabor mais acentuados e menos de 2% de acidez.

- Azeite Puro: sua composição mistura azeite refinado (obtido a partir do processo de refinamento) ao azeite virgem. O resultado são sabores e aromas mais marcantes.

 

O azeite traz mais saúde à mesa

Segundo Rita Bassi, o azeite extravirgem é reconhecido pelo FDA - Food and Drug Administration - como um alimento com características funcionais que, pela presença de antioxidantes, fortalece o sistema imunológico quando faz parte da dieta do indivíduo.

"Enquanto os outros óleos são produzidos a partir das sementes, o azeite é o único óleo extraído da fruta (azeitona), possui gordura monoinsaturada, vitaminas, antioxidantes e minerais, além de ser fonte de vitamina E", explica Rita que fornece ainda os seguintes dados:

- O azeite de oliva é rico em gorduras monoinsaturadas, que ajudam a elevar o HDL (colesterol "bom") e a reduzir o LDL (colesterol "ruim"). Cerca de 20% das calorias diárias consumidas por uma pessoa devem vir da gordura monoinsaturada, 10%, da poliinsaturada e até 7%, da saturada.

- No caso de diabetes, a substituição de gordura saturada e do carboidrato pelo azeite (gordura monoinsaturada) melhora a resistência à insulina e consequentemente diminui a glicemia do diabético.

 



» Veja Fotos




Você pode gostar também de:

» Comentários

Postagem em questão: “Dicas para comprar um bom azeite”

 

  1. Comente esta matéria!

Enviar Comentário
Name (obrigatório)
E-Mail (não será publicado) (obrigatorio)
Cidade (obrigatorio)
 
 

Diretor: Jornalista Breno Jordão
Fone: (43) 3524-1303
®Todos os direitos reservados